Produtos alimentares enriquecidos com Macroalgas

A adição de macroalgas em produtos alimentares – neste caso do azeite – possibilita maximizar as suas propriedades antioxidantes e nutritivas, procurando aumentar o seu tempo de validade e melhorar a saúde e o bem-estar geral do consumidor. Por um lado, a possibilidade de aumentar o cariz antioxidante dos produtos, de modo a retardar reações oxidativas e aumentar a estabilidade de óleos e gorduras confere a esta invenção um elevado grau de inovação com um potencial de crescimento enorme. Por outro lado, além de reforçarem as propriedades antioxidantes das ervas aromáticas e do próprio Azeite, as algas utilizadas têm ainda um importante papel como imune estimulantes e na redução do colesterol. Do ponto de vista sensorial, contribuem para a sensação de frescura, introduzindo o sal de modo natural no Azeite e contribuindo para um paladar único. O uso de algas marinhas como alimento é ja uma prática bastante difundida na cozinha mundial. No entanto, com a evolução dos tempos, as algas tornaram-se um aditivo funcional bastante importante, com um potencial de exploração enorme, podendo ser introduzidas de forma inovadora em produtos tipicamente tradicionais recorrendo a técnicas avançadas de tratamento. Existem aproximadamente 45.000 espécies de algas diferentes que apresentam na sua constituição uma série de compostos bioativos, vitaminas, minerais, fibras e proteínas de alto valor nutricional, com potencial benéfico para a saúde humana. Numa procura emergente dos consumidores por produtos inovadores e de qualidade, abre-se, assim, novos horizontes para a indústria e processamento alimentar.

Pretendo saber mais sobre esta tecnologia: