Valorização do Bagaço de Uva

Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa

Os componentes bioactivos de resíduos agro-alimentares são extraídos com solventes, fraccionados e estabilizados, de forma a poderem ser incorporados em matrizes alimentares ou cosméticas. Todo o processo decorre a temperaturas inferiores a 40 ºC minimizando a degradação dos compostos bioactivos. As diferentes fracções bioactivas são químicamente caracterizadas por cromatografia gasosa, cromatografia líquida e espectrometria de massa. A actividade biológica destes extractos é caracterizada nas suas vertentes antioxidante, antimicrobiana, antimutagénica e antiproliferativa, utilizando testes "in vitro" e "in vivo". O processo de vinificação origina grandes quantidades de bagaço que não é completamente reutilizado ou é reciclado em aplicações de baixo valor acrescentado. Devido ao teor de ácidos gordos polinsaturados das grainhas e à concentração de carotenóides e flavonóides nas películas, estes resíduos poderão ser utilizados como fonte de compostos bioactivos para os sectores alimentar e cosmético. Estes extractos podem ser adicionados a formulações cosméticas ou ingeridos como suplementos alimentares devido às sua propriedades funcionais. Poderão ainda ser incorporados em produtos alimentares, de forma a melhorar a estabilidade das suas propriedades organolépticas, prevenir a degradação microbiana e melhorar as suas propriedades biológicas.

Pretendo saber mais sobre esta tecnologia: